Doenças da boca

A mucosa bucal apresenta uma coloração rosa pálido e textura macia. Qualquer alteração em textura e cor pode significar um estado patológico. Manchas avermelhadas e esbranquiçadas, uma ferida que não cicatriza e sangra, um espessamento da mucosa e dores ao mastigar e deglutir podem ser sinais de anormalidade.

Estas alterações podem ocorrer nos lábios, bochechas, palato (céu da boca), gengiva, língua, pele da face e pescoço. Nem sempre elas vem acompanhadas de dor.

O câncer de boca é uma denominação que inclui os cânceres de lábio e de cavidade oral (mucosa bucal, gengivas, palato duro, língua oral e assoalho da boca). O câncer de lábio é mais freqüente em pessoas brancas, e registra maior ocorrência no lábio inferior em relação ao superior. O câncer em outras regiões da boca acomete principalmente tabagistas e os riscos aumentam quando o tabagista faz uso crônico de álcool.

Próteses mal ajustadas, dentes fraturados podem ser fatores desencadeantes dos tumores orais, os pacientes devem evitar o fumo e o álcool, promover a higiene bucal, ter os dentes tratados e fazer uma consulta odontológica de controle a cada ano. Outra recomendação é a manutenção de uma dieta saudável, rica em vegetais e frutas. Evitar a exposição ao sol sem proteção é importante na prevenção do câncer do lábio.

A melhor forma de buscar tratamento para quaisquer alterações da região oral e maxilofacial é procurar um profissional especializado na detecção precoce destas lesões e tumorações. O diagnóstico precoce quase sempre significa um tratamento com cura definitiva e menos danos ao paciente. Em muitos casos, uma biópsia deve ser realizada.

A melhor forma de prevenção das doenças orais e maxilofaciais é o auto exame da boca e face. Abaixo demonstraremos este auto exame (fonte: INCA)

O auto-exame é de grande importância porque ajuda a detectar sintomas do câncer bucal. Veja abaixo como ele deve ser realizado.

O que é o auto-exame da boca?
É uma técnica simples que a própria pessoa pode fazer, bastando que tenha um espelho e esteja num ambiente bem iluminado.
A finalidade deste exame é identificar lesões precursoras do câncer de boca, uma doença curável se tratada no seu início.

O que procurar?

Como fazer o auto-exame da boca?

Atenção: Lave bem a boca e remova próteses dentárias se for o caso.

  1. De frente para o espelho, observe a pele do rosto e do pescoço. Veja se encontra algum sinal que não tenha notado antes. Toque suavemente com as pontas dos dedos todo o rosto.
  2. Puxe com os dedos, o lábio inferior para baixo, expondo a sua parte interna (mucosa). Em seguida, apalpe todo o lábio. Puxe o lábio superior para cima e repita a papalção.
  3. Com a ponta do dedo indicador, afaste a bochecha para examinar a parte interna da mesma. Faça isso nos dois lados.
  4. Com a ponta do dedo indicador, percorra toda a gengiva superior e inferior.
  5. Introduza o dedo indicador por baixo da língua e o polegar da mesma mão por baixo do queixo e procure palpar todo o assoalho da boca.
  6. Incline a cabeça para trás e abrindo a boca o máximo possível, examine atentamente o céu da boca. Palpe com o dedo indicador todo o céu da boca. Em seguida diga “ÁÁÁÁ…” e observe o fundo da garganta.
  7. Ponha a língua para fora e observe a parte de cima. Repita a observação com a língua levantada até o céu da boca. Em seguida puxando a língua para esquerda, observe o lado esquerdo da mesma. Repita o procedimento para o lado direito.
  8. Estique a língua para fora, segurando-a com um pedaço de gaze ou pano, apalpe em toda a sua extensão com os dedos indicador e polegar da outra mão.
  9. Examine o pescoço. Compare os lados direito e esquerdo e veja se há diferenças entre eles. Depois, apalpe o lado esquerdo do pescoço com a mão direita. Repita o procedimento para o lado direito, palpando com a mão esquerda. Veja se existem caroços ou áreas endurecidas.
  10. Finalmente, introduza o polegar por debaixo da queixo e apalpe suavemente todo o seu contorno inferior.

Faça o auto-exame da boca mensalmente.

Se notar alguma anormalidade, agende uma consulta para estabelecermos um diagnóstico precoce.
Telefone: 21 2622-2399

Cirurgia ortognática

Especialidade da odontologia que reposiciona o maxilar e/ou a mandíbula com deformidades.

Saiba mais

Implantes dentários

Os implantes aproximam-se bastante à anatomia e à estética dos dentes naturais e oferecerem maior estabilidade às próteses.

Saiba mais

Planejamento digital 3d

Dispomos de softwares para planejamento virtual da cirurgia ortognática e de implantes.

Saiba mais

Anestesia geral

Onde é realizada e quem vai cuidar de mim durante o procedimento cirúrgico? Toda cirurgia bucomaxilofacial sob anestesia geral é […]

Saiba mais

Cirurgia bucomaxilofacial

O que é Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial? Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial é a especialidade que tem como objetivo o diagnóstico […]

Saiba mais

Dentes inclusos

Os terceiros molares (dentes sisos) começam a erupcionar no final da adolescência, mais ou menos quando atingimos os 20 anos […]

Saiba mais

Analgesia inalatória com óxido nitroso

Onde é realizada e quem vai cuidar de mim durante o procedimento cirúrgico? A cirurgia sob sedação é realizada no […]

Saiba mais

Fisioterapia

A inter-relação entres as áreas da saúde tem se tornado um fato cada vez mais presente nos dias atuais e […]

Saiba mais

Fraturas dos ossos da face

Dentro da Traumatologia, o traumatismo da face assume um papel importante no tratamento dos pacientes acometidos. As principais causas do […]

Saiba mais

Fonoaudiologia e cirurgia bucomaxilofacial

A atuação Fonoaudiologia associada aos procedimentos de Cirurgia Bucomaxilofacial contribui para resultados superiores nos pacientes que tenham alterações em seu […]

Saiba mais

Doenças da boca

A mucosa bucal apresenta uma coloração rosa pálido e textura macia. Qualquer alteração em textura e cor pode significar um […]

Saiba mais

Cirurgia sob sedação

Onde é realizada e quem vai cuidar de mim durante o procedimento cirúrgico? A cirurgia sob sedação é realizada no […]

Saiba mais

Pós-operatório

Retorno ao trabalho Atualmente, utilizamos técnicas cirúrgicas minimamente invasivas (cortes pequenos, pouco sangramento e menor tempo cirúrgico), proporcionando mais segurança […]

Saiba mais